Montando uma VPN com o OpenVPN

neste artigo vamos montar uma VPN (Virtual Private Netwrok) utilizando o software OpenVPN, que auxilia a facilita a manutenção da rede e está disponível para vários sistemas operacionais.

Continue reading

 

Quer saber o quão rápido é a sua conexão com a internet? Você precisará testar sua velocidade de internet para descobrir. Há muitas maneiras de fazer isso, algumas mais precisas do que outras, dependendo do motivo pelo qual você está testando.

Continue reading

Ao entrar nas configurações de rede de seu computador ou ao lidar com algum software de firewall, provavelmente você já se deparou com referências aos protocolos TCP e UDP. Embora distintas entre si, ambas as opções servem ao propósito de enviar pequenas fatias de dados — conhecidos como “pacotes” — a um determinado endereço de IP, seja pela internet ou através de uma rede local.

Apesar de não serem os únicos protocolos que funcionam com base em IPs, o TCP e o UDP são as opções mais usadas atualmente pelo mundo da tecnologia. Neste artigo, explicamos quais as principais diferenças entre as duas opções e detalhamos os motivos pelos quais saber disso é essencial para configurar corretamente a maneira como você acessa a internet.

Continue reading

Data Center, ou Centro de Processamento de Dados, é um ambiente projetado para concentrar servidores, equipamentos de processamento e armazenamento de dados, e sistemas de ativos de rede, como switches, roteadores, e outros. Por isso, é considerado o sistema nervoso das empresas.

Com a finalidade de abrigar milhares de servidores e bancos de dados, e processar grandes quantidades de informação, os equipamentos geralmente são montados em racks ou armários metálicos. Possuem proteção contra incêndios, além de sistemas de resfriamento dos racks, para manter uma temperatura estável. Na maioria dos casos, ficam localizados em grandes galpões com acesso restrito de funcionários, por questões de segurança.

Continue reading

É impossível pensarmos em nossas vidas hoje sem uma rede de comunicação tão versátil e abrangente quanto a internet. Através dela, nós podemos conversar com outras pessoas, compartilhar nossos trabalhos e até realizar transações bancárias.

Continue reading

Para quem ainda não conhece, a Black Friday é um evento que propõe 24 horas de liquidações e valores baixíssimos. Nasceu nos Estados Unidos na sexta-feira após a Ação de Graças e chegou ao Brasil em 2010 (e a cada ano ganha novos adeptos).

Dados divulgados pela E-bit apontam que no ano passado o faturamento do e-commerce cresceu mais de 10% na Black Friday, alcançando um faturamento de R$ 2,1 bilhões de reais. Para que os números deste ano sejam ainda melhores, vamos apresentar algumas dicas de como vender mais na Black Friday. Aproveite!

Continue reading

Exclua o histórico dos comandos que você digitou no terminal

Digitar comandos no terminal é algo muito natural para qualquer usuário médio do Linux, não que não se possa fazer as coisas graficamente, mas nada supera a velocidade do terminal para realizar algumas tarefas.
Com o passar do tempo o terminal começa a sugerir comandos baseados no que você digitou, mas quando isso não está funcionando mais direito, por algum motivo ou você simplesmente quer deixar tudo “Clean” você pode limpar o histórico do terminal.

history -c

ou

echo “” > ~/.bash_history

Diferente de outras distribuições, no Ubuntu não basta editar o arquivo /etc/resolv.conf para configurar seu DNS.
Inclusive, há um aviso sobre isso no próprio arquivo:

DO NOT EDIT THIS FILE BY HAND — YOUR CHANGES WILL BE OVERWRITTEN

Continue reading

segue dica pra configurar uma placa de rede no Ubuntu.

1. Descubra o modelo de sua placa de rede, digite:

# lspci

O resultado de ser algo como:

Ethernet controller: VIA Technologies, Inc. VT6105 [Rhine-III] (rev8b)

2. Agora veja em que eth o seu sistema identificou a placa, se for uma única placa de rede provavelmente eth0. Use o comando:

# cat /var/log/messages | egrep “eth”

O resultado dever ser:

Oct 20 11:18:55 fw2 kernel: eth0: VIA VT6105 Rhine-III at 0xec00, 00:xx:xx:xx:xx:xx, IRQ 5.

3. Beleza, sabendo que sua placa é uma VIA Rhine, carregue o módulo referente.

# vim /etc/modules

Coloque o seguinte:

alias eth0 via-rhine.ko

4. Vamos editar o arquivo que é verificado quando o serviço de rede é iniciado:

# vim /etc/network/interfaces

Coloque a seguinte linha neste arquivo para ip dinâmico:

auto eth0
iface eth0 inet dhcp

ou o seguinte linhas para ip fixo:

auto eth0
iface eth0 inet static
address 192.168.0.1
network 192.168.254.254
broadcast 192.168.0.255
gateway 192.168.0.254

5. Para iniciar o serviço de rede execute o comando:

# invoke-rc.d network start

É só testar agora:

# ping 192.168.254.35
PING 192.168.254.35 (192.168.254.35) 56(84) bytes of data.
64 bytes from 192.168.254.35: icmp_seq=0 ttl=64 time=0.262 ms
64 bytes from 192.168.254.35: icmp_seq=1 ttl=64 time=0.102 ms
64 bytes from 192.168.254.35: icmp_seq=2 ttl=64 time=0.155 ms

6. Para confirmar se sua interface está ativa digite:

# ifconfig

Se estive ok deve mostrar:

eth0  Encapsulamento do Link: Ethernet  Endereço de HW 00:xx:xx:xx:xx:xx
      inet end.: 192.168.0.1  Bcast:192.168.0.255  Masc:255.255.255.0
      UP BROADCASTRUNNING MULTICAST  MTU:1500  Métrica:1
      pacotes RX:13951137 erros:0 descart.:0 sobrepos.:0 quadro:0
      pacotes TX:9849100 erros:0 descart.:0 sobrepos.:0 portadora:0
      colisões:0 txqueuelen:1000
      RX bytes:4069140904 (1.6 Mb)  TX bytes:1802073588 (8.5 Mb)
      IRQ:10 Endereço de E/S:0xde00

7. Não esqueça de colocar o serviço para ser iniciado toda vez que ligar a máquina. Use o comando:

# update-rc.d -f network defaults

Pronto, com todas as outras placas é o mesmo procedimento.